Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Ambiente
Protecção do meio ambiente: autarquia certifica entidades por boas práticas
ana maria santos
2018-09-21 / 21:11
FONTE: Youtube
Entidades que pretendem ostentar o Selo Verde, certificação de boas práticas ambientais emitidas pela Câmara Municipal de Setúbal, ficaram a conhecer algumas ferramentas de controlo criadas para auxiliar no êxito das candidaturas em curso.

O Selo Verde – Certificado de Qualidade Ambiental do Município de Setúbal, implementado numa parceria com a ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida, resulta da adesão da autarquia sadina ao Pacto de Autarcas, compromisso assumido pelos municípios de vários países europeus para a implementação, a nível local, de políticas e medidas que contribuam para a preservação e sustentabilidade do meio ambiente.

Este certificado, lançado em 2017 pela Câmara Municipal de Setúbal com quatro projetos-piloto, vai ao encontro de um dos parâmetros associados ao Pacto de Autarcas, de envolver a sociedade civil no compromisso de respeitar e proteger o meio ambiente.

Na ação realizada ontem, no auditório do Mercado do Livramento, representantes de dez entidades candidatas ao Selo Verde receberam formação e esclarecimentos sobre duas ferramentas, “Contabilidade Energética” e “Instruções Ambientais”, criadas especificamente para ajudar as candidaturas em curso a respeitar os parâmetros exigidos e atingir, assim, os objetivos propostos.

O processo de candidaturas à certificação do Selo Verde decorre ao longo de 2018, com duas fases de auditoria, uma em junho, já realizada, e outra em dezembro.

Para facilitar o cumprimento dos objetivos propostos, a ENA elaborou, igualmente, um guião com recomendações que devem ser respeitadas pelas entidades candidatas.

Os resultados e a atribuição do Selos Verde devem ser conhecidos no primeiro trimestre de 2019, sendo que a certificação tem atualmente 18 entidades candidatas, entre sete empresas, três juntas de freguesia, sete escolas e uma coletividade.

Juntamente com o Selo Verde, a organização atribui às juntas de freguesia um apoio financeiro de até três mil euros e aos estabelecimentos de ensino de até 1500 euros.

Em ambos os casos, os apoios destinam-se à implementação de medidas amigas do ambiente, como arranjos de espaços verdes e instalação de sistemas de iluminação de baixo consumo, podendo traduzir-se em fornecimento de material no valor dos montantes máximos definidos para aquelas instituições.

Às empresas e coletividades do concelho que recebam o Selo Verde é assegurada, de forma ampla, a divulgação e promoção da atribuição da certificação.

Partilhe
ver mais