Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Ambiente
Temperaturas vão subir: Protecção Civil alerta para perigo de incêndio rural
ana maria santos
2017-10-25 / 20:37
FONTE: Youtube
O tempo quente e seco, previsto já a partir de amanhã e para os próximos dias, aliado a baixos índices de humidade e vento forte, potenciam a ocorrência de incêndios rurais. A Protecção Civil apela à população para tomar todas as medidas preventivas de forma a evitar qualquer ocorrência daquela natureza.

O comandante operacional distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal (CDOSS), Elísio Lázaro de Oliveira, emitiu, esta noite, 25 de Outubro, um alerta à população sobre o perigo, elevado, para a ocorrência de incêndio rural, devido às condições atmosféricas esperadas para os próximos dias.

Segundo as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, para os próximos dias é esperado tempo seco, com índices muitos baixos de humidade relactiva, e vento forte, condições que potenciam à ocorrência de incêndios rurais que, caso venham a verificar-se, “podem evoluir com grande rapidez de propagação e enorme dimensão”, uma vez que ainda há grande quantidade de material lenhoso acumulado nos espaços florestais.

Perante o  risco, o CDOSS apela à população para que tenha um cuidado redobrado, nomeadamente através da “adequação dos comportamentos ao uso e fruição do espaço rural, de modo a que se evitem ignições susceptíveis de originar incêndios rurais grandes e facilmente propagáveis”, lembrando que é proibido “fazer uso do fogo junto a espaços florestais, sendo imperioso que todos os portugueses adequem os seus comportamentos face ao risco existente nessas áreas ao longo dos próximos dias”.

Não permitido é ainda a realização de queimadas ou fogueiras, a  utilização de equipamentos de queima e de combustão, queimar matos cortados e amontoados ou qualquer tipo de sobrantes de exploração, lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes, fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais ou vias circundantes e proceder à fumigação ou desinfestação de apiários com equipamentos sem dispositivos de retenção de faúlhas.

Partilhe
ver mais