Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Cultura
CANAL vai ficar situado em Alcácer do Sal
ana maria santos
2018-02-02 / 19:46
FONTE: Atlas do Sudoeste Português
A Ameira, na cidade de Alcácer do Sal, foi o local escolhido para sedear o CANAL - Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral, cujo contrato de comodato, entre aquele município e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, vai ser assinado a 7 de Fevereiro, às 15 horas, na futura sede do Centro.

Sedear o CANAL naquele conselho surge após, em Setembro de 2015, ambas as entidades terem firmado um protocolo de cooperação que aposta na arqueologia subaquática e visa investigar "todo o património cultural subaquático jazente nas águas do rio Sado, entre a cidade de Alcácer e a feitoria fenícia do Abul, património esse que se suspeita ser abundante e de enorme valor científico".

O presidente da Câmara Municipal, Vítor Proença, afirmou na altura tratar-se de uma aposta que vai trazer a Alcácer "especialistas que trabalham em várias partes do mundo" e que vai corresponder a mais um contributo daquela região (conhecida pela sua riqueza arqueológica) para a arqueologia nacional.

Aliás, o rio Sado assumiu, desde o séc. VII/VI a.C., um importante papel na redistribuição das rotas comerciais, actuando como agente determinante na comunicação e articulação política e territorial da área litoral. Embora exista uma Carta arqueológica terrestre do concelho, nunca foram documentados relatórios ou trabalhos monográficos capazes de elucidar a importância do rio na sua história. O projeto de Arqueologia Subaquática e Fluvial do Sado e Alentejo Litoral surge do forte interesse do município de Alcácer em promover o estudo e salvaguarda do património cultural submerso do concelho.

Câmara Municipal, Instituto de Arqueologia e Paleociências (IAP) e Instituto de História Contemporânea (IHC) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/UNL) criaram, assim, uma unidade de investigação local – o Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral (CANAL) -, que promove a descentralização da investigação científica e académica em arqueologia subaquática e que permitirá a criação de uma base de dados dos achados arqueológicos ao longo do rio, a Carta Arqueológica subaquática do Sado.

Partilhe
ver mais