Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Desporto
Ordem Paralímpica atribuí medalha a Jorge Carvalho
ana maria santos
2017-12-14 / 22:04
FONTE: Comité Paralímpico Nacional
A medalha da Ordem Paralímpica foi atribuída, recentemente, ao professor Jorge Carvalho, da Escola Superior de Educação do IPS de Setúbal, no decorrer da II Gala do Comité Paralímpico de Portugal.

O docente Jorge Carvalho, recebeu a distinção das mãos do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, em cerimónia realizada no Convento do Beato, em Lisboa.

No decorrer daquela  cerimónia, que é considerada a festa anual do desporto adaptado, foi reconhecido o contributo de vários atletas, entidades e intervenientes desportivos afectos aos movimentos paralímpico e surdolímpico. Entre eles, o professor Jorge Carvalho foi distinguido pela vasta e diversificada carreira profissional, não só como docente mas também no desempenho de funções em variados organismos nacionais e internacionais, na área de desporto para pessoas com deficiência.

Licenciado em Educação Física e Desporto pelo Instituto Superior de Educação Física da Universidade Técnica de Lisboa, Jorge Carvalho foi chefe de missão nos Jogos Paralímpicos de Barcelona 1992, Atlanta 1996, Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008, para além das  responsabilidades técnicas assumidas nos Jogos de Nova Iorque 1984 e de Seul 1988. Actualmente, Jorge Carvalho é director do Departamento de Desporto do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

No que toca à modalidade de boccia em concreto, salientam-se os cargos de treinador, classificador, árbitro, dirigente, organizador de eventos nacionais e internacionais, formador de agentes desportivos nos países lusófonos, e de docente do ensino superior, em Portugal e no estrangeiro.

A Ordem Paralímpica pretende reconhecer, de uma forma global, “quem, no decurso da sua carreira desportiva, tenha obtido resultados excepcionais a nível internacional; quem tenha participado de modo extraordinário na direcção, organização e promoção do desporto a nível nacional e/ou internacional e que tenha elevado nível e público reconhecimento; ou ainda as entidades ou pessoas que tenham actuado de forma desinteressada e extraordinária em benefício do desporto nacional português ou do movimento paralímpico e/ou surdolímpico”.

Partilhe
ver mais