Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Editorial
Muitos prometem. Vão votar para que o vosso candidato cumpra!
ana maria santos
2017-09-30 / 20:48
FONTE: DR
Em Dezembro de 76 ainda não tinha idade para votar. Mas já era “crescida” o suficiente para participar em toda a “cerimónia” do acto que foi a eleição dos orgãos locais, palavrão que, assumo, soou muito estranho da primeira vez que o ouvi: afinal, para mim, orgãos locais eram aqueles que ainda andava a aprender na primária e faziam parte das nossas funções vitais!

Explicado, pelo pai, o que eram orgãos locais (senhores e senhoras, na altura raríssimas, que tentariam resolver os problemas do local onde morávamos, no caso em concreto na Cova da Piedade/Almada), lá fiquei mais descansada e confiante de que podia, finalmente, ter o ringue de patinagem com que sempre sonhara...

O dia “solene” amanheceu com o frio do costume e, tal como de costume, a mãe fazia (sempre fez!) questão de me transformar numa bola de lã: camisolas, casacos e casaquinhos, sobretudo, gorros, luvas... e lá fui eu, em passo de marcha (não me podia mexer com tanta roupa), acompanhar os adultos no acto de votar/escolher os tais orgãos autárquicos, os tais que me iriam “dar” o ringue de patinagem.

Foi um dia memorável. Saimos de casa e as ruas estavam cheias de gente!!! Muitos conhecidos porque, naquela altura, a Cova da Piedade era uma localidade onde todos se conheciam, onde todos frequentavam os mesmos locais...

Lembro-me de ir muito calada (coisa que nunca fui! Embora nos dias de hoje isso possa parecer inacreditável!), assistindo aos cumprimentos dos pais com os amigos, as manifestações de alegria e eu ali... afinal quem fazia anos!! Ia haver festa?!

Lá estive, muito compenetrada, na fila de votação, até chegar a uma sala onde uns senhores, muito sérios, davam um papel e nos encaminhavam para uma “coisa”, tipo caixa, com um “cortinado”... estranho, pensei eu!

Bem, mas voltámos para a rua e, a meu ver, ia mesmo haver festa!!...

Amanhã, 1 de Outubro, passam 40 anos, 10 meses e 41 dias sobre o dia em que eu achei que ia ter um ringue de patinagem e, que ia haver festa...

Amanhã, todos temos que ir votar, cada um de nós pelo seu “ringue”, pela sua festa, pelo que defendem para a vossa cidade, para a vossa rua!

Amanhã, é dia de tomar decisões sérias e, quando digo sérias, não é porque as restantes eleições, legislativas e presidenciais, sejam menos sérias mas, estas, como todos sabem, são as que definem a gestão do local que chamamos de nosso, por ser onde residimos e, por isso mesmo, o que nos trás mais ou menos consequências para o dia a dia.

Amanhã é dia de votar! Votar naquilo que acreditamos seja o melhor para nós e para a nossa cidade. Dia de não encolher os ombros e dizer, “que se lixe!”. Quem amanhã optar pelo que se lixe ou pelo “não vale a pena”, está a adiar o seu dia a dia e, pior ainda, o próprio futuro

Há uns anos atrás, conheci, partilhei três anos de vida, com um grande senhor, que foi presidente da República, e com quem aprendi muito. Dizia ele, que muitos prometem e ele cumpria... e foi verdade!

O desafio que a Gazeta Setubalense hoje, 30 de Setembro, vos lança é, tão sómente, vão votar para que o vosso candidato cumpra!

Ana Maria Santos

Partilhe
ver mais