Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Inovação
Cientistas comprimem hidrogénio e confirmam teoria com mais de 80 anos
ana maria santos
2017-01-30 / 00:29
FONTE: Isaa Sivera/Handout via Reuters
Nova criação poderá ser usada como condutor de electricidade com alta eficiência, diz estudo publicado pela 'Science'.

Cientistas dos Estados Unidos conseguiram comprimir hidrogénio a ponto de transformá-lo em metal, de acordo com um artigo da revista "Science" desta semana. Esse tipo de material é totalmente novo e poderia ser usado como um bom condutor de electricidade, segundo os pesquisadores.

A descoberta é a primeira confirmação da teoria dos físicos Hillard Bell Huntington e Eugene Wigner, criada em 1935. Eles apresentaram a hipótese de que o hidrogénio, que fica naturalmente no estado gasoso, se pode transformar em metal após passar por extrema pressão.

Para conseguir o feito, os físicos da Universidade de Harvard Isaac Silvera e Ranga Dias comprimiram uma pequena amostra de hidrogénio com uma pressão de 32,5 milhões de quilos em 6,5 cm², maior que a encontrada no centro da Terra.

Várias equipas de pesquisa tentavam desenvolver o hidrogénio metálico. O novo material é altamente valorizado. Atualmente, os supercondutores, como aqueles usados em ressonâncias magnéticas, precisam ter suas máquinas arrefecidas com hélio em estado líquido e em temperaturas muito baixas. Isso encarece o processo.

"Este é o Santo Graal da física de alta pressão", disse Silvera. "É a primeira amostra de hidrogénio metálico da Terra. Quando você se olha para ela, está-se a olhar para algo que nunca existiu antes", completou em comunicado.

O professor de física David Ceperley, da Universidade de Illinois, não participou do estudo, mas disse que a descoberta, se confirmada, encerra uma pesquisa que levou décadas para ver como o hidrogénio - o elemento mais comum no universo - se pode tornar um metal.


Por Reuters

Partilhe
ver mais