Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Inovação
Docente do Politécnico de Setúbal distinguido pela Comissão Europeia
ana maria santos
2017-11-15 / 11:24
FONTE: IPS
Projecto BITalino, liderado pelo investigador Hugo Silva, foi um dos vencedores dos Innovation Radar Awards 2017.

Hugo Silva, docente do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), foi distinguido pela Comissão Europeia no âmbito dos Innovation Radar Awards 2017, enquanto investigador principal do projecto BITalino, que venceu na categoria de Industrial & Enabling Tech.

A iniciativa, que visa identificar os mais inovadores e promissores projectos de investigação financiados pela União Europeia nas áreas das Tecnologias da Informação e Comunicação, premiou no total sete trabalhos, numa cerimónia que decorreu em Budapeste, Hungria, no passado dia 9 de Novembro. O centro de investigação CATEC, de Espanha, foi o vencedor principal, pelo trabalho desenvolvido na área de controladores de precisão para drones utilizados em tarefas de inspecção e manutenção.

O BITalino, único vencedor de origem portuguesa, é uma plataforma de desenvolvimento, composta por hardware de baixo custo e software de código aberto, que permite a qualquer pessoa desenvolver projectos e aplicações que incorporem sinais biomédicos, de forma fácil e rápida.

O projecto, onde se conjugam as áreas de fisiologia e tecnologia, distingue-se por disponibilizar, “em forma de kit tudo-em-um os materiais necessários para adquirir sinais musculares, cerebrais, cardíacos, do sistema nervoso simpático e biomecânicos, entre muitos outros”, permitindo assim “democratizar” o uso dessas ferramentas, dantes “frequentemente inacessíveis fora do laboratório”, como explica o professor da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS).

Partindo de uma nomeação inicial feita por um conjunto alargado de peritos, o prémio recentemente atribuído pela Comissão Europeia representa, segundo o investigador Hugo Silva, “uma grande honra para todas as pessoas que contribuem e contribuíram para o projecto, e uma validação adicional de que estamos a avançar na direcção certa”. Sendo que, no futuro imediato, contribuirá para dar “bastante exposição ao trabalho”, funcionando “como um selo de qualidade que gera confiança adicional junto da base de utilizadores”, conclui.

Doutorado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores pela Universidade de Lisboa, Hugo Silva é, desde 2004, investigador no IT - Instituto de Telecomunicações, sendo também docente da ESTSetúbal/IPS desde 2016. É igualmente um dos fundadores da PLUX – Wireless Biosignals, jovem empresa nacional que desenvolve instrumentação e software para aplicações biomédicas e que actualmente mantém o BITalino.

Partilhe
ver mais