Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Pub
Mundo
Dia Internacional da Tolerância Zero Contra a Mutilação Genital Feminina
ana maria santos
2017-02-06 / 16:45
FONTE: DR
A Mutilação Genital Feminina atingiu, a nível mundial, 200 milhões de crianças, sacrificadas, física e psicologicamente, por razões sociais, religiosas, estéticas e económicas. Em Portugal, onde tal prática é considerada crime e punível com pena de prisão até 10 anos, são inúmeros os casos detectados pelos profissionais de saúde.

A remoção total, ou parcial, da genitália da mulher continua presente em várias culturas a nível mundial e, quase sempre, realizada com as vítimas ainda crianças que sofrem, física e psicologicamente, o que para a grande parte dos povos consiste numa atrocidade mas que, em diversas culturas e religiões continua a ser uma prática comum.



A mutilação genital feminina pode ser realizada de duas formas: corte do clitóris ou também com o corte completo dos lábios vaginais, com a costura quase completa da cavidade vaginal, deixando apenas um espaço reduzido para a passagem da urina e do fluxo menstrual.

Felizmente que as mentalidades estão em mudança e são já muitas as famílias que se recusam a submeter as suas crianças a esta prática que, também, é um caso de saúde pública e que coloca em risco a vida daquelas meninas.
E porque hoje é Dia Internacional de Intolerância Zero Contra a MGF, porque nenhuma criança (ou mulher) deverá ser sujeita a tal descriminação e violência, porque somos todos necessários para mudar mentalidades e, porque, já basta… fica o vídeo (que não contém imagens chocantes) que é uma chamada de atenção para este enorme problema.

Partilhe
em destaque
Setúbal: Definidas regras de selecção ao acesso e atribuição de habitação municipal
Câmara de Setúbal assume gestão das praias da Arrábida
Cerca de 19 quilos de cocaína apreendidos no Montijo
São Torpes: Buscas deverão prosseguir amanhã após “reavaliação de meios”
ver mais