Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Mundo
Dia Internacional da Tolerância Zero Contra a Mutilação Genital Feminina
ana maria santos
2017-02-06 / 16:45
FONTE: DR
A Mutilação Genital Feminina atingiu, a nível mundial, 200 milhões de crianças, sacrificadas, física e psicologicamente, por razões sociais, religiosas, estéticas e económicas. Em Portugal, onde tal prática é considerada crime e punível com pena de prisão até 10 anos, são inúmeros os casos detectados pelos profissionais de saúde.

A remoção total, ou parcial, da genitália da mulher continua presente em várias culturas a nível mundial e, quase sempre, realizada com as vítimas ainda crianças que sofrem, física e psicologicamente, o que para a grande parte dos povos consiste numa atrocidade mas que, em diversas culturas e religiões continua a ser uma prática comum.



A mutilação genital feminina pode ser realizada de duas formas: corte do clitóris ou também com o corte completo dos lábios vaginais, com a costura quase completa da cavidade vaginal, deixando apenas um espaço reduzido para a passagem da urina e do fluxo menstrual.

Felizmente que as mentalidades estão em mudança e são já muitas as famílias que se recusam a submeter as suas crianças a esta prática que, também, é um caso de saúde pública e que coloca em risco a vida daquelas meninas.
E porque hoje é Dia Internacional de Intolerância Zero Contra a MGF, porque nenhuma criança (ou mulher) deverá ser sujeita a tal descriminação e violência, porque somos todos necessários para mudar mentalidades e, porque, já basta… fica o vídeo (que não contém imagens chocantes) que é uma chamada de atenção para este enorme problema.

Partilhe
em destaque
Direcção dos Bombeiros de Águas de Moura agradece empenho dos seus operacionais
Elvira Fortunato distinguida com Prémio Czochralski 2017
Conselho de Ministros aprova Decreto-Lei relativo aos terrenos da Margueira
Homem detido por posse de mais de cinco mil doses de droga
ver mais