Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Mundo
Diocese de Setúbal reencaminha parte da renúncia quaresmal para Moçambique
ana maria santos
2019-03-24 / 15:22
FONTE: Sapo
O Bispo de Setúbal, D. José Ornelas, anunciou hoje, 24 de Março, através de carta enviada ao Clero da Diocese de Setúbal, que parte da renúncia quaresmal do corrente ano será encaminhada para a Arquidiocese da Beira, em Moçambique, de forma a minorar as carências das vítimas do ciclone “Idai”, que assolou aquele território.

Tal como pode ser lido na carta enviada, D. José Ornelas salienta que nos últimos dias, “temos recebido informações dramáticas sobre as consequências trágicas do ciclone que atingiu a região central de Moçambique e outras zonas de países vizinhos, com especial gravidade na cidade da Beira.

Ninguém de nós pode ficar indiferente a esta situação e é bom ver que as autoridades e a população portuguesa se estão a mobilizar para prestar a ajuda possível e tão necessária a quem se encontra em condições tão extremas.

Também nós, comunidade cristã de Setúbal, sentimos certamente o apelo destes irmãos e irmãs e somos desafiados a partilhar, segundo as nossas possibilidades, para aliviar as ingentes dificuldades destas pessoas. Por isso, pareceu-me muito oportuno alterar parte dos destinatários da renúncia quaresmal deste ano, que ficará assim estabelecida:

Ajudar a Igreja da Venezuela na crise extrema dos pobres que a ela recorrem.

Auxiliar a Diocese da Beira – Moçambique a minorar as carências das vítimas do recente temporal”, com o objectivo de “contribuir para o fundo de emergência da Diocese, originalmente previsto nesta renúncia quaresmal”, podendo o mesmo “ser parcialmente ajudado pelo peditório da Cáritas e será tido em conta por outras formas de ajuda”.

Partilhe
ver mais