Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Mundo
Negociações: “Brexit” recebe aval da Câmara dos Comuns
ana maria santos
2017-02-01 / 22:06
FONTE: istoe
A Câmara dos Comuns britânica aprovou, esta quarta-feira, o início das negociações do "brexit", primeiro passo para que a primeira-ministra, Theresa May, possa conduzir a saída do Reino Unido da União Europeia.

A lei permitirá que Theresa May dê início ao processo de saída da UE - descrito no artigo 50 do Tratado de Lisboa, de 2007, que determina também como ficará a relação do bloco com o membro que decide deixá-lo.

A primeira-ministra britânica precisou da aprovação do Parlamento depois que a Suprema Corte decidiu que não poderia iniciar as negociações sozinha, sendo que a previsão é que a Câmara dos Lordes avalie o processo até 7 de Março, o que permitirá que o diálogo com a cúpula da União Europeia comece em 31 do mesmo mês, como previa o governo. As negociações deverão levar dois anos, que definirão o futuro económico britânico e do acordo de 27 países.

O projecto recebeu 498 votos a favor e 114 contra da Câmara baixa do Parlamento britânico. A medida ainda passará por emendas e uma segunda votação antes de ser votada na Câmara dos Lordes.

Os votos favoráveis vieram de quase toda a bancada conservadora, do nacionalista Ukip (Partido da Independência do Reino Unido) e de dois terços dos deputados do Partido Trabalhista, que faz oposição a Theresa May. Do outro lado, ficaram 47 trabalhistas que não seguiram a orientação da cúpula e as bancadas liberal-democrata e o Partido Nacional Escocês.

A aprovação acontece depois de dois dias de debates no plenário. O secretário responsável pela saída da UE, David Davis, disse que votar contra seria ignorar o plebiscito de Junho, em que 51,9% aprovaram deixar o bloco.

Já o secretário trabalhista do 'brexit', Keir Starmer, pró-permanência, disse que fará o que for melhor para os britânicos. "Simplesmente dizer que não aceitamos não é a maneira de fazer uma luta pelo futuro."

No fim da votação, dois deputados trabalhistas renunciaram no "gabinete sombra" (grupo da oposição que fiscaliza as acções do governo) e um parlamentar gritou "suicídio" quando o resultado foi anunciado


Com: Agências de notícias

Partilhe
em destaque
Direcção dos Bombeiros de Águas de Moura agradece empenho dos seus operacionais
Elvira Fortunato distinguida com Prémio Czochralski 2017
Conselho de Ministros aprova Decreto-Lei relativo aos terrenos da Margueira
Homem detido por posse de mais de cinco mil doses de droga
ver mais