Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Mundo
Trump diz ser vítima de “caça às bruxas”
e impede jornalista de colocar questões
ana maria santos
2016-12-30 / 16:54
FONTE: backgrounds4k.net
Donald Trump, o presidente eleito dos Estados Unidos, qualificou, esta semana, como uma "caça às bruxas" as notícias que os órgãos de comunicação social divulgaram sobre memorandos de Inteligência que revelariam que os russos teriam informações altamente comprometedoras sobre ele. Na primeira conferência de imprensa do presidente eleito, Donald Trump não respondeu ao jornalista da CNN e terá sido ameaçado de expulsão da sala.

"Notícias falsas! Uma caça às bruxas total!”, escreveu o presidente eleito no Twitter.
A rede CNN noticiou, esta terça-feira, que os chefes de Inteligência dos EUA revelaram na semana passada a Trump que agentes russos afirmam ter informação pessoal e financeira comprometedora sobre o presidente eleito.
Citando "múltiplos" funcionários americanos não identificados, a CNN afirma que os chefes de Inteligência apresentaram um resumo de duas páginas sobre informações que poderiam colocar em situação delicada o futuro presidente, junto com um relatório sobre a suposta interferência da Rússia na recente eleição.
A CNN não deu detalhes sobre o que envolve as informações comprometedoras, mas indicou que a sua existência foi revelada por um ex-agente do MI6 - a inteligência britânica - contratado por outros candidatos presidenciais dos Estados Unidos para fazer uma "investigação" política sobre Trump em meados do ano passado.
O Bureau Federal de Investigações (FBI) terá recebido a informação em Agosto, dois meses antes da eleição presidencial, celebradas em 8 de Novembro, segundo a CNN.
Entretanto, na primeira conferência de imprensa de Donald Trump, após as eleições em que foi eleito, o presidente dos Estados Unidos da América cortou a palavra a um jornalista da CNN, Jim Acosta, quando este lhe tentava colocar uma questão sobre as relações de Trump com a Rússia.
Visivelmente irritado, o futuro presidente impediu o jornalista de concretizar a sua função, acusou a CNN de ser um órgão de comunicação que veicula “notícias falsas” e deu a palavra a outro jornalista presente na sala
Posteriormente, o jornalista da CNN revelou que o futuro secretário de Comunicação da Casa Branca, Sean Spicer, lhe disse que se tentasse voltar a colocar questões a Trump seria expulso da sala.

Partilhe
ver mais