Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Emprego Saúde Ambiente Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Paula Santos
2019-10-04
Opinião
Avançar pelos direitos e pelo desenvolvimento
Cá estaremos no dia a seguir às eleições para prosseguir a luta contra a precariedade, pelo aumento dos salários, contra a desregulação dos horários de trabalho, em defesa do direito à educação e à saúde, por melhores transportes públicos, mas não é indiferente prosseguirmos a luta reforçados.

As eleições legislativas no próximo domingo, dia 6 de outubro são muito importantes para o nosso futuro.

Eleições legislativas que servem para eleger 230 deputados na Assembleia da República e não para eleger governo ou primeiro ministro.

No distrito de Setúbal iremos eleger 18 deputados, portanto a questão a saber é quais os deputados que serão eleitos, se deputados que estiveram ao lado das lutas dos trabalhadores e das populações e que defendem que é preciso avançar pelo aumento dos salários e das pensões e pelo reforço dos direitos, como são exemplo os deputados do PCP e do PEV ou deputados que pretendem andar para trás e na primeira oportunidade irão atacar os direitos dos trabalhadores e das populações, como PS, PSD e CDS.

Esta é a opção que está nas mãos de cada um de nós. Todos temos um voto e com o nosso voto podemos contribuir para eleger deputados da CDU que assumem o compromisso com os trabalhadores e o povo e com a melhoria das suas condições de vida para avançarmos e não andarmos para trás.

Cá estaremos no dia a seguir às eleições para prosseguir a luta contra a precariedade, pelo aumento dos salários, contra a desregulação dos horários de trabalho, em defesa do direito à educação e à saúde, por melhores transportes públicos, mas não é indiferente prosseguirmos a luta reforçados. Com mais deputados da CDU temos mais condições para dar concretização às justas reivindicações dos trabalhadores e das populações.

Nesta Legislatura não foi indiferente a força da CDU. Com a luta dos trabalhadores e das populações e com a intervenção do PCP e do PEV alcançamos importantes conquistas como a reposição dos cortes dos salários e das pensões, a reposição do horário de trabalho de 35 horas, o descongelamento das carreiras, a reposição do pagamento integral do subsídio de natal, o aumento extraordinário das pensões, a gratuitidade dos manuais escolares em toda a escolaridade obrigatória, a o alargamento do passe social e a redução do seu preço, o aumento das prestações sociais, muitas vezes mesmo contra a vontade do PS. Avanços importantes, mas aquém da resolução dos problemas estruturais do país. Com mais força e mais deputados da CDU temos mais condições para avançar no plano dos direitos e do desenvolvimento do país.

Também não é indiferente um PS de mãos livres ou uma eventual maioria absoluta do PS ou do PSD com o CDS. Sem dúvidas nenhumas significará retrocesso.

A CDU é a única força política que no distrito de Setúbal propõe uma estratégia de desenvolvimento integrado da Península de Setúbal e do Litoral Alentejano. Defendemos a valorização do trabalho e dos trabalhadores através do reforço dos seus direitos e da redistribuição da riqueza; a aposta na produção nacional, nomeadamente na agricultura, floresta, pecuária, pescas e o desenvolvimento da atividade industrial e o apoio aos micro, pequenos e médios empresários; o investimento público, em especial a construção da ponte rodoferroviária Barreiro-Lisboa, a construção do aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete, o alargamento do Metro Sul do Tejo, a criação do Pólo Ferroviário no Barreiro e o reforço da ferrovia, a conclusão do IP8, a ponte Barreiro-Seixal; o reforço da Escola Pública, seja pela requalificação do parque escolar degradado e a construção dos pavilhões gimnodesportivos onde não existem, seja no reforço do número de auxiliares de ação educativa, professores, psicólogos, terapeutas; o reforço do Serviço Nacional de Saúde com a atribuição de médico e enfermeiro de família a todos os utentes, a contratação dos profissionais de saúde em falta, a construção do Hospital no Seixal e do Hospital Montijo-Alcochete e o alargamento dos cuidados de saúde primários; a melhoria dos transportes públicos através do reforço de carreiras e do investimento em mais autocarros, navios e comboios; a proteção do ambiente, em particular das áreas protegidas e o reforço de meios.

Consideramos que é prioritário para a melhoria das condições de vida, o aumento geral de todos os salários e o aumento do salário mínimo nacional para 850 euros, o aumento das pensões no mínimo de 10 euros já em janeiro de 2020 e no mínimo de 40 euros na legislatura e no apoio às crianças e respetivas famílias a criação de uma rede pública de creches gratuitas.

Que ninguém falte no dia 6 de outubro, porque ficar em casa, ou votar em branco ou nulo, só está a contribuir para reforçar PS, PSD e CDS.

Avançar pelos direitos e pelo desenvolvimento e não andar para trás é com o reforço da CDU.

(Deputada do PCP, eleita pelo círculo eleitoral de Setúbal)