Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Rafael Rodrigues
2017-06-19
Opinião
Foi um dia trágico!
Chegam os incêndios e chegam os tempos de antena para se repetir o que desde 1996 ando a ouvir... "agora é que vai ser...agora é que vamos apostar... agora é que vamos reordenar... "

Meus Queridos Amigos,

Bom dia!

Muito bom dia!

O sol está forte... Queima e faz brilhar o dia.

Foi um dia trágico!

Ontem, devido aos incêndios perderam-se vidas, muitas vidas em Incêndios de um só dia!

Fiquei consternado, triste e profundamente incrédulo... não basta culpar a natureza, o terreno, os ventos, a falta de humidade ou as altas temperaturas... e nesses eleitos que servem para se afastar a mão humana, onde cabe o homem?

Onde cabe o cidadão, onde cabem os eleitos, onde cabem os líderes, onde cabem os comandantes...? Onde cabemos cada um de nós?

Creio que é aqui que devemos procurar algumas respostas... Jamais nos bombeiros!

Estes vão para a luta, entregam-se com todo o saber, com todas as forças e voluntariedade para defenderem o que nada lhes pertence porém sabem que nada da prevenção foi cumprido nem ninguém a tal obrigou... As leis existem mas poucos cuidam para que se cumpram!

Chegam os incêndios e chegam os tempos de antena para se repetir o que desde 1996 ando a ouvir... "agora é que vai ser...agora é que vamos apostar... agora é que vamos reordenar... "

Há muitos anos que cansei e canso-me de ouvir a mesma lengalenga.

Nunca chegaremos a bom porto enquanto os actores do teatro forem os mesmos...

Mudam-se os palcos, mudam-se os encenadores, programadores, os autores das peças e os únicos que nunca mudam são os bombeiros que se oferecem de alma e coração para sentirem que se esgotaram numa guerra ou guerras vãs!

Eles esgotam a paciência das suas famílias por nunca saberem se regressam.

Ontem muitos cidadãos não regressaram... e porquê?

Encontremos os porquês no histórico, no presente... no estado de alerta vermelho para uma série de distritos e no que foi ou não feito, mais do que não foi feito do que no devia ter sido feito!

Vamos para o luto nacional... mas a pergunta que cada bombeiro coloca é:- porque luto?

Que não seja uma luta vã, são os maiores desejos de qualquer combatente que anda nas batalhas para as guerras vencer... mas com maus xerifes não se pode ser bom cowboy!

Estou triste... muito triste por conhecer a realidade dos campos de batalha...

O que vou fazer?

Este mundo tem sempre forma de compensar, logo procuro a sombra... no recolhimento da sombra e pensar.

Vou em busca do vento, um vento que castigue o rosto para arejar a pele que o sol dos dias envelhece.

Vou esperar que o vento sopre.

Daquele vento que leve aos amigos e amigas, bombeiros ou não, a vontade de abraçar ... dar-lhes forças e ânimo!

Ficarei à espera que o vento traga respostas, respostas no vento que o vento soprar...

" Soprada no Vento

Quantas estradas precisará um homem andar

Antes que possam chamá-lo de um homem?

Quantos mares precisará uma pomba branca sobrevoar

Antes que ela possa dormir na areia?

Sim e quantas vezes precisará balas de canhão voar

Até serem para sempre banidas?

A resposta, meu amigo, está soprada no vento

A resposta está soprada no vento

Sim e quantos anos pode existir uma montanha

Antes que ela seja dissolvida pelo mar?

Sim e quantos anos podem algumas pessoas existir

Até que sejam permitidas a serem livres?

Sim e quantas vezes pode um homem virar sua cabeça

E fingir que ele simplesmente não vê?

A resposta, meu amigo, está soprada no vento

A resposta está soprada no vento

Sim e quantas vezes precisará um homem olhar para cima

Antes que ele possa ver o céu?

Sim e quantas orelhas precisará ter um homem

Antes que ele possa ouvir as pessoas chorar?

Sim e quantas mortes ele causará até ele saber

Que muitas pessoas morreram?

A resposta, meu amigo, está soprada no vento

A resposta está soprada no vento. "

Bob Dylan