Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Opinião
Os carrapatos
Estes ácaros alimentam-se, principalmente, de sangue, animal e humano, e habitualmente vivem, antes de se alojarem nos hospedeiros, nos campos em barracos degradados.

Os inúmeros e conhecidos carrapatos, mal passou o temporal, começaram logo a desmanchar as malas e a tomar lugar no seu antigo espaço. Malas e maletas eram agora desfeitas. Provisoriamente haviam-nas feito, não fosse o caso de se poder dar algum contratempo tal como o tufão que arrasara Almada, Beja e outros bastiões. Lugares houve por onde o ciclone passou, tudo arrasou.

Os Ixodidae residentes no entanto voltaram, o ciclone não os afetou, ou mesmo um fogo semelhante ao de Pedrogão os afetara, sendo assim voltaram a pensar nas viagens, jantares e passeios, sempre colados ao seu hospedeiro. A sua vida de argasidae assim os fez, assim se alimentam, vivem. Estes ácaros alimentam-se, principalmente, de sangue, animal e humano, e habitualmente vivem, antes de se alojarem nos hospedeiros, nos campos em barracos degradados. Podem-se encontrar também em touceiras, capim, entre madeiras velhas, húmidas e/ou secas.

Normalmente é vulgar ver-se este espécime e identifica-lo: são de forma oval e quando em jejum são planos no sentido dorso-ventre, porém após se alimentarem ficam  covexos e até mesmo esféricos. A sua carapaça é composta de quitina, na forma de um esqueleto, bem resistente e firme em relação a sua espessura.

Carrapatos da família argasidae, normalmente não permanecem aderidos ao hospedeiro por períodos prolongados, estes carrapatos são notáveis pois podem permanecer em jejum por períodos prolongados esperando o hospedeiro que os alimenta. frequentemente mais de um ano,  até quatro, não mais. No entanto quando o hospedeiro deixa de o ser, rápido caem no chão e rápido procuram outro hospedeiro. Há muitos carrapatos e hospedeiros por isso a balança fica equilibrada.

Os carrapatos causam grandes prejuízos devido à sua eficiência reprodutiva. Este ácaro leva a um atraso no desenvolvimento, enfranquecimento, desvalorização e principalmente irritação do hospedeiro parasitado.

Deve-se ter alguns cuidados pessoais para não atrair estes bichinhos. Principalmente vistoriar as redondezas e retirar os carrapatos após terminar as suas funções. Deve-se matar os carrapatos com fogo, vulgar no nosso País, água fervente, aconselha-se uma visita aos Açores, às furnas, ou mesmo uma boa aguardente, o bafo a álcool mata-os. Não se deve esmagar entre as unhas, tal como as pulgas ou piolhos, pois pode haver perigo de contaminação. Se mesmo assim for picado por um destes… eukariotas e lhe aparecerem sintomas de uma gripe forte deve-se procurar um médico imediatamente e falar-lhe da sua relação com os carrapatos. É importante lembrar que as larvas e ninfas são os principais responsáveis pela transmissão da FMB.

Cuidado com os carrapatos, eles andem p’r aiiii.

Alfredo Portugal da Silveira