Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Emprego Saúde Ambiente Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
País
Operação "Taxa Zero": GNR registou mais de 14 mil contraordenações
ana maria santos
2019-08-15 / 14:43
FONTE: GNR
No decorrer da operação de fiscalização, denominada por “Taxa Zero”, realizada pela GNR no período compreendido entre os dias 5 e 13 do corrente mês, a nível nacional, foram registadas mais de 14 mil contraordenações, a maior parte das quais por excesso de velocidade.

No período em que decorreu a operação de fiscalização, a Guarda Nacional Republicana (GNR) intensificou a sua acção para a condução sob efeito do álcool, para além de outros comportamentos que colocam em risco os próprios condutores e diminuir a sinistralidade rodoviária grave.

A acção de fiscalização, realizada numa época do ano que se caracteriza pelo aumento de eventos sociais, sejam festivais, convívios ou romarias, em que por norma existe um consumo excessivo de bebidas alcoólicas, associado ao aumento da circulação de viaturas em locais de veraneio e de diversão nocturna, o que potencia a ocorrência de acidentes, muitas vezes com consequências graves, a GNR testou cerca de 32 mil condutores, tendo sido registados “671 excessos de álcool, dos quais 230 exerciam a condução com uma taxa crime igual ou superior a 1,2 gramas por litro (g/l), resultando na sua detenção, aos quais se acrescentam 163 detidos por falta de habilitação legal para conduzir”.

No total da referida operação, a Guarda Nacional Republicana registou mais de 14 mil contraordenações, nomeadamente 3.548 por excesso de velocidade, 578 por falta de inspecção periódica obrigatória, 453 por falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 390 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução e 310 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

De referir que a condução sob excesso de álcool desceu consideravelmente, em 2018 a GNR havia registado 14.947 crimes de condução sob a influência de álcool, dos quais resultaram  9.647 acidentes em que os condutores intervenientes apresentaram uma taxa de álcool no sangue superior a 0,50 g/l, e destes, 6 825 com uma taxa crime.

Partilhe
ver mais