Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Emprego Saúde Ambiente Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Região
Pinhal Novo: GNR impediu tentativa de suicídio na via pública
ana maria santos
2019-09-10 / 17:31
FONTE: DTGNR/Palmela
Militares da GNR do Posto de Pinhal Novo impediram um homem de colocar termo à vida, em plena via pública daquela localidade do concelho de Palmela. O mesmo foi presente, hoje, a Tribunal por posse ilegal de arma de fogo, de onde saiu com Termo de Identidade e Residência.

A GNR de Pinhal Novo deteve ontem, 9 de Setembro e por posse ilegal de arma de fogo, um homem de 56 anos, residente naquela localidade, que se encontrava na via pública, sentado num passeio e armado, apresentando um comportamento “bastante nervoso”.

Segundo adiantou ao jornal Gazeta Setubalense o capitão Fábio Afonso, Comandante do Destacamento Territorial de Palmela, a GNR foi alertada para a presença do homem, que se encontrava na artéria mais movimentada daquela vila, que apresentava um comportamento bastante nervoso e estava na posse de uma arma de fogo.

De imediato os militares diligênciaram no sentido de repor a segurança e tranquilidade naquela área, predominantemente comercial, tendo conseguido, numa acção que contou com o apoio do Núcleo de Investigação Criminal de Palmela. surpreendê-lo e retirar-lhe a arma de fogo que empunhava, apesar de todos os procedimentos necessários a não colocar em risco quer a segurança dos militares, quer de terceiros e do próprio indivíduo.

Aliás, assim que foi detido, e segundo o Capitão Fábio Afonso, o homem terá revelado que se preparava para colocar termo à vida sem que tenha dada qualquer outra explicação para aquela sua decisão.

O homem foi presente, esta tarde, ao Tribunal Judicial de Setúbal onde, pelo crime de posse de arma ilegal, o processo seguiu para inquérito e, pelo mesmo, foi-lhe decretada a medida de coacção de Termo de Identidade e Residência.

Quanto ao facto de estar psicológicamente afectado (e o acompanhamento que lhe deveria ser feito), o Tribunal não informou a GNR da decisão tomada.

Partilhe
ver mais