Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Emprego Saúde Ambiente Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Região
Sesimbra: apreendidos mais de 500 quilos de sardinha
ana maria santos
2019-06-25 / 11:12
FONTE: GNR
A GNR apreendeu mais de 500 quilos de sardinha que seguiam a bordo de uma embarcação. A apreensão foi motivada pelo facto de ter sido ultrapassado o limite diário de captura.

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR, através do Subdestacamento Controlo Costeiro de Setúbal, apreendeu, ontem, 24 de Junho, em Sesimbra, 575 quilos de sardinha, com um valor estimado de 4.025 euros.

A apreensão foi efectuada no decorrer de uma operação de fiscalização a uma embarcação, durante a qual a GNR confirmou que a mesma transportava uma quantidade de peixe superior ao limite diário de captura, que é de 3.188 quilos, facto pelo qual o excedente acabou apreendido e entregue à lota para sujeição ao regime da primeira venda.

Na ocasião foi identificado o mestre da embarcação, um homem de 52 anos, e elaborado o auto de contraordenação, cuja coima pode atingir os 37.500 euros.

Em comunicado, a GNR lembra que a sardinha “é um recurso de interesse estratégico para a pesca portuguesa, para a indústria conserveira e para as exportações de produtos da pesca e do mar, assumindo uma particular relevância em termos socioeconómicos em várias comunidades piscatórias. O recurso deve ser explorado de modo a garantir, no longo prazo, a sustentabilidade ambiental, económica e social da pescaria, dentro de uma abordagem de precaução, definida com base nos dados científicos disponíveis, procurando-se simultaneamente assegurar os rendimentos da pesca aos seus profissionais”.

Partilhe
ver mais