Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Saúde
Investigadoras do Instituto Politécnico de Setúbal estudam voz cantada e a fala na primeira infância
ana maria santos
2018-09-19 / 22:41
FONTE: IPS
Duas equipas de investigadoras do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), coordenadas por Ana Mendes, docente da Escola Superior de Saúde (ESS/IPS), dão a conhecer publicamente, no próximo dia 22 de Setembro, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o resultado dos seus projectos na área da Terapia da Fala.

As obras ESFala – Escala de Desenvolvimento dos Sons da Fala e EAVOCZ – Escala de Apreciação da Voz Cantada, publicadas pela CreateSpace, da Amazon, vão ser lançadas em duas sessões, agendadas respetivamente para as 16 e 17 horas, contemplando dois momentos musicais e a oportunidade de conhecer e conversar com as autoras.

A ESFala, que partiu de uma amostra de 963 crianças de Portugal continental e ilhas, com idades entre os 18 meses e os sete anos, é uma escala de desenvolvimento infantil neuromotor, oral e linguístico, que poderá servir como guião orientador na monitorização da aquisição dos sons da fala do Português-Europeu. A obra científica, levada a cabo pelas investigadoras Ana Mendes, Joana Sousa, Rita Oliveira e Sara Lopes, destina-se a profissionais de saúde e de educação e a cuidadores de crianças (pais e amas).

Quanto à EAVOCZ, trata-se de um instrumento de apreciação áudio-percectivo da voz cantada, que surgiu como resposta a uma necessidade do projecto de investigação Vocologia do Fado, pioneiro e até agora único em Portugal, que se propôs caracterizar a voz cantada à luz de critérios científicos e também artísticos.

O estudo, que se desenvolve desde 2006, incidiu sobre uma amostra alargada de 104 cantores, abrangendo amadores e profissionais, homens e mulheres, sujeita depois a avaliação por parte de um grupo de juízes com diferentes backgrounds académicos e profissionais: professores de canto, terapeutas da fala, fadistas e público em geral.

A EAVOCZ quantifica e qualifica a voz cantada em 15 parâmetros, como por exemplo altura tonal, ressonância, projecção vocal, entre outros.  Este instrumento, desenvolvido pelas investigadoras Ana Mendes, Soraia Ibrahim e Inês Vaz, está agora disponível em formato de livro.

Partilhe
ver mais