Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Sociedade
Detectadas redes de emalhar no cais da Secil em Setúbal
ana maria santos
2018-01-11 / 14:18
FONTE: AMN
Uma patrulha da Polícia Marítima do Comando-local de Setúbal, detectou, ontem, 10 de Janeiro, uma caçada de redes de emalhar, colado por baixo do cais da Secil. A situação foi visualizada quando a patrulha efectuava uma ronda pelas várias instalações portuárias, integradas no Porto de Setúbal.

Aquela situação, para além de ilegal, representa, segundo a Polícia Marítima, “um grande risco para a navegação mercante”, que diariamente utiliza aquelas instalações e que, durante uma simples manobra de atracar ou largar, “poderão estas artes de pesca afectar gravemente um navio mercante, na sua capacidade de manobra e propulsão, originando assim um acidente com consequências graves”.

Dada a perigosidade que representava manter aquela situação, foi necessária uma intervenção imediata, pelo que, “numa manobra dificultada pela limitação de espaço de operação para homens e embarcações”, os elementos da Polícia Marítima de Setúbal procederam à recolha das referidas redes de emalhar, ali colocadas.

Logo que terminada a retirada das mesmas, e em acto contínuo, “foram detectadas algumas marcas (jerricans) fundeadas, junto a este cais e no canal principal de navegação do Sado, sem marcações legais e sem qualquer identificação de pertença, pelo que as artes foram aladas para bordo das semirrígidas da Polícia Marítima e seguiram apreendidos para as instalações do Comando-local de Setúbal”, pode ler-se no comunicado de imprensa hoje divulgado.

O pescado retirado daquelas artes, perfazendo cerca de 14 quilos, foi igualmente apreendido e doado a uma instituição social da cidade de Setúbal.

Partilhe
ver mais