Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Sociedade
José Mourinho: “Esta é a única cidade onde me sinto o Zé Mário”
ana maria santos
2017-10-03 / 19:26
FONTE: SMCI/CMS
José Mourinho inaugurou, hoje ao início da tarde, a avenida da zona ribeirinha de Setúbal a que dá nome. Acompanhado pela mãe, o setubalense mais mediático do mundo disse ter uma sensação “estranha” com a homenagem que lhe foi feita na “única cidade onde me sinto o Zé Mário, onde me tratam com simplicidade e um setubalense igual aos outros”.

Situada entre o Parque Urbano de Albarquel e a rua Trabalhadores do Mar, na frente ribeirinha do rio Sado, em Setúbal, a avenida José Mourinho foi hoje inaugurada pelo próprio que, acompanhado pela mãe, descerrou, juntamente com a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, a placa toponímica que presta homenagem ao treinador do Manchester United.

“Esta é uma situação um bocadinho estranha para mim porque Setúbal continua a ser a única cidade onde eu me sinto eu, onde me sinto Zé Mário, onde eu ando na rua e as pessoas me tratam como eu gosto que me tratem: como mais um, com uma sensibilidade normal e onde me fazem sentir aquilo que eu sou: um setubalense como os outros, afirmou José Mourinho, sublinhando que “aquilo que fiz, que tenho feito e que vou continuar a fazer na minha profissão, quase sempre fora de Setúbal e de Portugal, é um extra há minha essência e àquilo que sou, sou um setubalense puro, com todas as qualidades e também alguns defeitos próprios dos setubalenses”.

O técnico de futebol disse sentir-se “honrado, emocionado e orgulhoso” pela homenagem prestada mas, voltou a frisar que se sentia “estranho porque quero continuar a vir a Setúbal  e a ser quem eu sou. Venho a Setúbal porque amo esta cidade, porque tenho a minha mãe e me sinto mais perto do meu pai, venho a Setúbal porque a minha mulher é outra setubalense, não nascida em Setúbal, porque os meus filhos nunca aqui viveram e amam Setúbal tanto ou mais do que eu e porque continuo a ter os amigos que na rua me tratam por Zé e que se deixam de tretas  do special one, e coisas parecidas com essas, e acho que vou tentar vir a Setúbal, a esta avenida, como venho muitas vezes, e vou tentar rir com as piadas dos meus filhos e esquecer-me que esta avenida tem o meu nome”

Mourinho agradeceu a Maria das Dores Meira, e aos membros da Assembleia Municipal de Setúbal,  a atribuição do seu nome aquela artéria da cidade, salientando que “digo sempre que troco homenagens por vitórias, mas esta é a uníca que não trocava”.

O treinador disse ainda querer esquecer que existe uma artéria com o seu nome “porque quero vir a esta cidade sem me sentir embaraçado, porque os setubalenses sempre me trataram com naturalidade. Ninguém me chateia, como o mundo me chateia, aqui tenho as pessoas que me conhecem desde miúdo, os que andaram comigo na escola ou jogaram futebol comigo, os amigos da minha mulher, toda a gente me conhece e só para a criançada de hoje, que nunca me conheceu e nunca se cruzou comigo, provavelmente para eles eu sou mais aquilo que eles conhecem da minha história profissional, do que aquilo que os mais velhos conhecem e que é a minha história enquanto setubalense e eu digo sempre que independentemente da minha carreira, do que foi e do que será, espero, durante muitos anos, um prazer e uma paixão, os meus primeiros 26 anos, que foram os que vivi diáriamente em Setúbal, são anos que não se trocam por nada”.

Na cidade natal, José Mourinho frequenta “os mesmos locais de sempre. Ando a pé com a minha família, vou ao Mercado do Livramento, vou aos restaurantes que sempre fui e cada canto da cidade recordações. Setúbal é paz!”.

O técnico elogiou ainda a reeleição de Maria das Dores Meira na presidência da autarquia: “Parabéns pela goleada já esperada. A presidente é um exemplo de que nem só os nascidos em Setúbal fazem algo de bom pela cidade. Deu-lhe uma nova dinâmica e a cidade está cada vez melhor”.

Maria das Dores Meira: “Esta é a homenagem de uma cidade”

A presidente da autarquia salientou de que em Setúbal “temos orgulho dos que, mesmo sem a fama, trabalham e fazem a sua cidade maior. Setúbal é feita daqueles que aqui trabalham, que para aqui vieram viver  e se sentem setubalenses de coração e alma. É feita dos anónimos que, nas fábricas, nos serviços, na pesca, fazem girar as engrenagens sadinas” mas, também, “grande orgulho do talento dos que aqui nasceram e por esse mundo fora se fizeram grandes e nunca, mas nunca, esquecem a terra onde nasceram e os ajudou a ser grandes”.

“Este Mourinho global”, prosseguiu a autarca, “nunca suplantará o nosso Mourinho de Setúbal, o homem que, com o mesmo empenho e orgulho, jogou no Comércio e Indústria e treina hoje o Manchester United”, o homem que “regressa sempre à sua terra com a alegria de rever amigos, de provar o magnífico peixe, de respirar os ares da Arrábida e de contemplar o rio Azul que tanto nos inspira” pelo que, sublinhou, a homenagem “que hoje aqui lhe fazemos é, por isso, mais do que justrificada. É a homenagem de uma cidade, de um concelho que querem perpetuar este nome especial na que é hoje uma das mais conhecidas artérias da cidade”.

Maria das Dores Meira agradeceu ainda ao treinador pelo facto de ter aceite, “prontamente”, o papel de embaixador de Setúbal, com a certeza de que “também ele continuará, onde quer que esteja, a falar com paixão da sua cidade natal, a explicar porque é que vale a pena aqui vir, a detalhar quem somos e como somos”.

Partilhe
ver mais