Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Pub
Sociedade
Protecção Civil alerta para o calor extremo dos próximos dias
ana maria santos
2017-06-15 / 19:32
FONTE: Youtube
A Autoridade Nacional de Protecção Civil emitiu hoje, 15 de Junho, um alerta devido às previsões climatéricas para os próximos dias, com uma subida acentuada das temperaturas, nomeadamente as máximas, as quais podem chegar aos 43.ºC em algumas regiões do país. O perigo de incêndio florestal é elevado e aquela autoridade apela para que as populações tenham cuidados redobrados de protecção.

Na sequência de uma reunião, realizada hoje, 15 de Junho, entre o Instituto Português do Mar e da Atmosfera e o Comando Nacional de Operações de Socorro da Autoridade Nacional de Protecção Civil, foi emitido um alerta às populações devido a existência, para os próximos dias, de um “cenário desfavorável em termos de incêndios florestais”, motivado por uma “massa de ar muito quente transportada na circulação conjunta de um anticiclone localizado a noroeste da Galiza e de um vale depressionário que se estende desde o norte de África até à Península Ibérica”, o que faz prever a ocorrência de temperaturas elevadas, em especial a máxima, pelo menos até domingo.

Segundo o documento de alerta emitido, os valores da temperatura máxima irão variar, na generalidade do território, entre 30 e 36ºC, com excepção de alguns locais do interior, onde se poderão atingir valores entre 37 e 40ºC, e da faixa costeira a norte do Cabo Raso, onde as temperaturas não deverão ultrapassar 26ºC, aproximadamente.

Assim, já a partir de amanhã e até dia 18, a temperatura máxima poderá atingir “valores entre 40 e 43ºC nas regiões do interior e entre 35 e 39ºC nas regiões do litoral”, enquanto a temperatura mínima irá subir “gradualmente esperando-se, a partir do dia 17, valores da ordem de 20 a 22ºC em quase todo o território, podendo mesmo atingir 23 a 25ºC em muitos locais”, em especial do interior.

Quanto ao vento, o mesmo será “moderado, sobretudo nas terras altas, e as humidades relativas serão inferiores a 30 por cento”, na generalidade do território continental.

Perante o cenário previsto, a ANPC alerta para o facto de que, com o tempo quente e vento moderado a forte, são criadas “condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios florestais”, pelo que, recorda aquela autoridade, “de acordo com as disposições legais em vigor, para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja superior ao nível Elevado, “não é permitida a realização de queimadas”. Para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja superior ao nível Muito Elevado, não é permitida a “realização de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confecção de alimento, a utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confecção de alimentos, queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes, fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem e a fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas”.

A ANPC recorda, ainda alguns cuidados a ter, face às condições meteorológicas previstas, na realização de trabalhos agrícolas e florestais, nomeadamente manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras, abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação e ter cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

Considerando as temperaturas previsíveis, aquela autoridade recomenda ainda especial atenção aos cuidados na área da saúde, com especial atenção aos grupos mais vulneráveis, nomeadamente crianças, idosos e doentes crónicos, adaptando os comportamentos à situação em causa, tais como aumentar a ingestão de água ou sumos de fruta natural, sem adição de açúcar, mesmo sem sinais de sede; evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar; fazer refeições leves e mais frequentes. Refeições pesadas e muito condimentadas são de evitar, bem como a exposição directa ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que haja exposição ao sol, ou se ande ao ar livre, usar um protector solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30). Renovar a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas) e sempre que estiver molhado ou tiver transpirado bastante. Usar roupa leve e fresca, evitar esforços físicos, são outras das recomendações.

A ANPC recomenda ainda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio florestal, nomeadamente com a adopção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, consultando, para o efeito, o sítio digital do IPMA, os Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e os Corpos de Bombeiros.

Mais informações podem ser obtidas através de https://www.dgs.pt/saude-ambiental-calor/recomendacoes.aspx

Partilhe
em destaque
Setúbal: Definidas regras de selecção ao acesso e atribuição de habitação municipal
Câmara de Setúbal assume gestão das praias da Arrábida
Cerca de 19 quilos de cocaína apreendidos no Montijo
São Torpes: Buscas deverão prosseguir amanhã após “reavaliação de meios”
ver mais