Secções

Opinião Sociedade Economia Política Região Turismo Cultura Desporto País Especiais Emprego Tecnologia Saúde Ambiente Inovação Internacional Cartaz Directório Mundo Entrevista Exclusivo Editorial

Directório

Adicionar Entidade 

Sobre

Termos e Condições Privacidade e Cookies Acordo Ortográfico Regras da Comunidade Ficha Técnica Estatuto Editorial Contactos

Siga-nos

Facebook Twitter
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Pesquisar
GAZETA SETUBALENSE
A informação na hora certa.
Turismo
Município de Grândola apresentou Feira do Ar Puro
ana maria santos
2017-09-27 / 17:13
FONTE: CMG
O Dia Mundial do Turismo foi assinalado, em Grândola, com a Feira do “Ar Puro”, evento através do qual se promove, pelo terceiro ano consecutivo, aquele concelho e as várias atractividades que o mesmo tem para oferecer a nível da pesca, caça e actividades ao ar livre.

Apresentar as actividades disponíveis para a realização da terceira edição da Feira do “Ar Puro” foi  hoje, Dia Mundial do Turismo, o mote para um passeio de barco pela orla costeira da Península de Tróia, onde estiveram presentes o presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes e a vereadora com o pelouro do Turismo, Carina Batista.

António Figueira Mendes salientou não ser por acaso que, na data em que se celebra o “Dia Mundial do Turismo”, “pretendemos promover esta Feira, a que todos os anos procuramos trazer originalidade e ir ao encontro dos gostos dos visitantes e este ano não é excepção”, acrescentando que o objectivo “é cativar pessoas para que possamos contribuir para a promoção da economia do concelho, prolongando o período das actividades turísticas de praia e de mar, alargando a outras actividades, onde é dada prioridade ao interior.”

Relativamente às novidades para esta edição, o autarca adiantou que “pela primeira vez (numa parceria com a Câmara Municipal de Sines) existirá um campeonato de surf que decorrerá na Praia do Carvalhal e na Praia de S. Torpes. Já em Melides, a novidade é a inauguração do abrigo para a observação de aves na Lagoa” e onde são esperados cerca de cinco mil visitantes.

Para a realização da Feira do “Ar Puro” a Câmara Municipal de Grândola irá investir cerca de oito mil euros, investimento esse que tem por base o desenvolvimento económico do concelho e é visto “não como uma despesa, mas uma mais-valia, onde é possível trazer mais riqueza, quer para a hotelaria, quer para a restauração local, assim como promoção e conhecimento do nosso turismo durante todo o ano, frisou o autarca que deu como exemplo o “Grândola Aventura”  que, na sua décima edição, “mobiliza interessados de todos os pontos do país, mas também a nível internacional, onde contamos com a presença de espanhóis e franceses.”

Ainda segundo António Figueira Mendes, o concelho de Grândola “tem vindo a registar, durante o ano de 2017, um crescimento ao nível da procura, comparativamente com anos anteriores, e neste dia que se celebra o Dia Mundial do Turismo pretendemos continuar a melhorar a oferta, para que os investimentos que se iniciaram, nomeadamente ao nível do imobiliário e empreendimentos ligados ao turismo, possam nos próximos dois anos, criar mais postos de trabalho no concelho” onde, referiu, “há muito trabalho que temos a fazer e contribuir para formar profissionalmente os candidatos a trabalhar nestes projectos”.

Quanto ao facto do cncelho de Grândola ter sido nomeado aos Prémios “Mais Alentejo”, em quatro categorias, António Figueira Mendes sublinhou que foi “com grande satisfação que vi o Hóquei Clube de Grândola subir à primeira divisão e ser campeão nacional da segunda divisão, sendo por isso a nomeação um mérito desse pequeno clube, que tem gente de coração grande e que conseguiu essa façanha que nos orgulha a todos. Assim como está de parabéns o “Sublime - Comporta”, que se encontra nomeado na categoria de “Turismo Rural e Mais Chefe” e a iniciativa do município, “Rota das Tabernas”, na categoria “Mais Sensação” que há mais de 20 anos perdura no concelho e que, com grande esforço continua a existir, porque se pretende manter os estabelecimentos que subsistem nas aldeia recônditas, não só por questões paisagísticas, mas por motivos de coesão social e de diversidade, evitando assimetrias no nosso concelho”, concluiu.

Partilhe
ver mais